Uberlândia

Márcio Nobre teve mandato cassado na Câmara Municipal de Uberlândia

Marcio é o 13º parlamentar cassado em Uberlândia.

A sexta sessão ordinária da Câmara Municipal de Uberlândia, aconteceu na manhã desta terça-feira 19 de maio.

A cassação do parlamentar afastado Márcio Nobre Teixeira, que teve o requerimento como autores Gabriel Santos Miranda e Guilherme Rossi Grossi.

A votação foi nominal e era necessário dois terços dos vereadores presentes, de acordo com a pauta da ordem do dia.

O secretário, vereador Sérgio do Bom Preço (PP), convocou o vereador afastado Márcio Nobre, bem como a sua defensora dativa Francismeire Pereira dos Santos a comparecer ao plenário. O primeiro não compareceu à reunião, diferentemente da advogada dativa presente à sessão desde o início.

O vereador Leandro Neves (PSD) pediu a leitura da conclusão do relatório final. Para ele, bastava a leitura do documento para que a votação fosse realizada posteriormente ainda hoje,. O vereador Sérgio do Bom Preço (PP) fez então a leitura do parecer sobre o relatório final.

Produzida pela comissão processante que conduziu os trabalhos de cassação do vereador afastado, a conclusão do precesso é assinada pelo membro, relator e pelo presidente, vereador Guilherme Miranda (PP). Concluída a sua leitura, a palavra foi aberta a todos os vereadores presentes.

Como ninguém solicitou uso da tribuna, a advogada dativa, Francismeire Pereira dos Santos, pediu imparcialidade e um julgamento de acordo com as ponderações feitas por cada um dos presentes. Ela pediu também coerência e opinou, finalizando a sua defesa, pela não cassação do vereador afastado Márcio Nobre Teixeira.

Apesar dos pedidos da defensora dativa, o vereador afastado foi cassado por 23 votos favoráveis. Uma ausência. Ele deverá ser, a partir de agora, afastado definitivamente do cargo. Considerado culpado pelas infrações apresentadas no requerimento, investigadas pela comissão processante, o vereador afastado foi julgado no dia de hoje por uso indevido da verba indenizatória e o seu mandato cassado.

Além de perder o mandato, Marcio fica inelegível por oito anos.

A titularidade do cargo fica com o professor Edilson Graciolli.

Assessoria Câmara Municipal de Uberlândia

Imagens: Via Drones

ASSISTA AS LIVES DO CANAL ALÔ UBERLÂNDIA NO FACEBOOK