Uberlândia

Com destaque para alta no preço da carne, Uberlândia registra em junho o maior índice de inflação no ano

Levantamento do IPC-Cepes/UFU aponta índice de 0,47% no mês passado; variação mensal não registrava marca positiva desde janeiro

IPC-Cepes é calculado desde 1979; esta foi a terceira vez que a divulgação ocorreu por meio de um seminário on-line.

O Centro de Pesquisas Econômico-Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes/UFU), vinculado ao Instituto de Economia e Relações Internacionais (IERI/UFU), realizou nesta quarta-feira (22/07) o seu sétimo webnário. Durante o seminário on-line foram divulgados os dados de junho do Boletim do Índice de Preços ao Consumidor de Uberlândia (IPC-Cepes) e do Boletim da Cesta Básica de Alimentos de Uberlândia, que reflete o gasto de famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos.

O IPC-Cepes apresentou uma variação de 0,47% no mês passado, sendo 0,56 ponto percentual acima da taxa de -0,09% registrada em maio de 2020. Dentre os nove grupos analisados pelo Cepes, sete tiveram índice inflacionário positivo, ou seja, com aumento no preço. Já o gasto mensal da Cesta Básica de Alimentos de Uberlândia em junho foi de R$ 446,56, com queda de R$ 11,21 em relação ao mês anterior.

No acumulado dos últimos doze meses em Uberlândia, a variação ficou em 1,26%, enquanto a variação na primeira metade de 2020 ficou no negativo, com -0,10%. (Arte: Divulgação)

Conhecer a dinâmica econômica local, a partir da variação mensal dos preços praticados em produtos e serviços que refletem diretamente nas questões de desenvolvimento da cidade, é o objetivo do levantamento, que também ocorreu de forma remota. Pedro Henrique Martins Prado, economista e responsável pela divulgação destes boletins, afirma que os dados apresentados são um reflexo da realidade econômica mais frágil, em virtude da pandemia.

O destaque ficou para o Grupo Alimentação e Bebidas, que representa mais de um quarto no peso da inflação calculada pelo Cepes e registrou variação de 0,77%. As frutas tiveram deflação de 9,20% e as carnes registraram aumentos por conta da demanda na exportação para a China, segundo Prado. “O Grupo Carnes apresentou um impacto muito significativo dentro do grupo de alimentação e bebidas; variou 4,31% em junho. Ele contribuiu para o índice geral e supera a média geral”, comenta.

Quando comparado com os índices nacionais de inflação, Uberlândia apresenta maior taxa pelo segundo mês consecutivo. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a variação do custo das famílias com renda mensal de um a cinco salários mínimos, foi de 0,30% em junho, com destaque para alta de 1,27% nos artigos de residência. A diferença é ainda maior em relação à capital mineira, que fechou o mês de junho em 0,10%, No comparativo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que avalia os gastos das famílias com renda mensal de 1 e 40 salários mínimos, a taxa também é mais alta. N o mesmo período mensal o índice atingiu 0,26%.

Artigos de residência tiveram a maior variação mensal, com alta de 2,34%, segundo o Cepes, devido à maior procura durante a quarentena. (Arte: Divulgação)

A estimativa de salário mínimo necessário para uma família de quatro pessoas, na cidade de Uberlândia, também foi anunciada e ficou em R$ 3.751,57. O salário mínimo oficial (R$ 1.045,00) equivale a 27,85% do necessário, segundo a pesquisa, que avaliou o poder de compra no maior município do interior de Minas Gerais, durante o mês de junho.

O Cepes está localizado na sala 132 do Bloco IJ do Campus Santa Mônica. É possível entrar em contato pelo telefone (34) 3239-4527 ou pelo e-mail cepes@ufu.br. Todos os boletins já divulgados pelo Cepes podem ser acessados AQUI.

Política de uso: A reprodução de textos, fotografias e outros conteúdos publicados pela Diretoria de Comunicação Social da Universidade Federal de Uberlândia (Dirco/UFU) é livre; porém, solicitamos que seja(m) citado(s) o(s) autor(es) e o Portal Comunica UFU.

Fonte: UFU

ASSISTA AS LIVES DO CANAL ALÔ UBERLÂNDIA NO FACEBOOK