Segurança pública

Desentendimento leva a homicídio no bairro Minas Gerais

Suspeitos fugiram

Durante a tarde desta segunda-feira, 10 de fevereiro, por volta das 14h30, a Polícia Militar recebeu um chamado que estava acontecendo um homicídio na rua Amaral Coutinho, no bairro Minas Gerais.

Os militares se deslocaram até o endereço.

Ao chegarem, fizeram o primeiro contato com os familiares e depararam com a vítima caída, já sem vida, a qual havia sido atingida na cabeça, tórax e virilha, por três disparos de arma de fogo.

O irmão da vítima relatou que por volta das 14h30min dois indivíduos, um a pé e outro de bicicleta, bateram no portão da casa dele e, ao serem atendidos perguntaram por seu irmão. Segundo a testemunha, ela informou aos indivíduos que o mesmo morava na casa ao lado.

Coincidentemente, a vítima apareceu e, de imediato, o suspeito que estava de bicicleta, sacou um revólver e efetuou três disparos contra seu irmão.

Após atingirem a vítima com os disparos, o suspeito que estava com a arma fugiu na bicicleta pela rua Sílvio Romero, sentido ao interior do bairro Minas Gerais, enquanto que o outro suspeito correu para junto de um terceiro suspeito, que o aguardava em uma motocicleta Honda/CG 150 de cor prata, e fugiram pela rua Amaral Coutinho, também em direção ao interior do bairro.

A testemunha identificou os dois suspeitos que fugiram na motocicleta.

Segundo a informação da testemunha um deles teria interrogado a vítima onde estaria a sua parte da “fita”. Sabendo da existência de um loteamento nas proximidades e da presença de construções naquele local, os militares fizeram pesquisa e a suspeita se confirmou a partir da localização de uma ocorrência de furto ocorrido na data de 09 de Fevereiro deste ano, por volta das 23h20min, em um condomínio de prédios em obras. Nele foram subtraídos diversos materiais utilizados em obras, bem como ferramentas e cabos elétricos, produtos estes localizados partes no interior da casa da vítima do homicídio.

O almoxarife da obra confirmou serem da empresa os materiais de construção localizados no interior da casa da vítima. O mestre de obras e o auxiliar de engenharia reconheceram, por fotografias e nomes, dois dos suspeitos como enteados de um dos operários da obra, os quais diariamente levavam alimentação na obra para o operário, podendo ter sido este último quem repassou para os suspeitos do furto informações relevantes sobre a existência dos materiais no almoxarifado, objetos da desavença da partilha dos produtos do delito, que podem ter motivado o homicídio.

Em diligência na casa dos suspeitos, não foi localizado nenhum dos envolvidos.

O padrasto dos suspeitos, momento antes dos militares chegarem no condomínio em construção, por volta das 16h00, havia pedido para ir embora com alegação de que estaria passando mal.

Fonte: Polícia Militar/MG

Participe do nosso grupo Whatsapp