Coluna sobre saúde

Tumor no pulmão é principal causa de morte por câncer no Brasil

Oncologista do COT alerta para sintomas e causas da doença que apresenta grandes índices de mortalidade

Tosse e rouquidão persistentes, escarro com sangue, falta de ar, dor torácica, chiado no pulmão são sintomas corriqueiros e que, provavelmente, levam a pensar que algum incômodo no sistema respiratório, como uma bronquite, está por vir. A percepção não deixa de estar correta, porém, estes mesmos sinais também são indícios de um problema maior: o câncer no pulmão. Justamente devido essa possibilidade de confundir os indicativos com os de outras doenças respiratórias leva à detecção de apenas 16% dos casos em estágio inicial, dificultando o processo de cura. Em alguns casos os sintomas realmente aparecerão apenas quando o câncer estiver avançado, mas em algumas pessoas é possível detectá-los no início da doença.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) 14% das mortes causadas por câncer em homens e 11% nas mulheres são devidas ao tumor no pulmão. Ele é o mais letal no universo masculino, a frente até mesmo do câncer de próstata. Ainda segundo o INCA, para este ano é estimado o surgimento de mais de 31 mil novos casos no Brasil.

O oncologista do Centro Oncológico do Triângulo (COT), Dr. Fernando Maciel comenta as circunstâncias que podem causar a doença. “Fatores como a exposição à poluição do ar ou a agentes químicos ou físicos, repetição de infecções pulmonares, fatores genéticos e histórico familiar, deficiência ou excesso de vitamina A e doenças pulmonares obstrutivas crônicas, são agravantes para o desenvolvimento deste câncer, mas a principal causa ainda é o tabagismo.”

O consumo de derivados do tabaco é uma prática presente na rotina de 85% dos pacientes diagnosticados. Pessoas que já abandonaram o vício ou estão expostas ao cigarro passivamente, também correm riscos. “Considerando os casos da doença em fumantes, a mortalidade por câncer entre eles é cerca de 15 vezes maior do que entre pessoas que nunca tiveram contato com o cigarro. Nos casos de ex-fumantes é cerca de quatro vezes maior”, afirma o médico.

Para prevenir o câncer de pulmão, é necessário, primeiramente, não fumar, mas também evitar se expor ao tabagismo passivo e agentes químicos, além de manter uma alimentação saudável com consumo de vegetais e frutas. A detecção precoce será uma estratégia chave para aumentar as possibilidades de tratamento. A realização de exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos ao apresentar qualquer sintoma sugestivo da doença, é essencial para esta constatação.

Tratamento

O tratamento para o câncer de pulmão demanda um planejamento e investigação. Precisam ser considerados, principalmente, o tipo histológico, que indicará características das células do órgão, e o estágio da doença, além de considerar também a localização do tumor. As possibilidades de tratamento incluem a cirurgia, radiologia, quimioterapia ou até mesmo as modalidades combinadas.

Fonte: GA Comunicação