Artigos

Cientistas se unem para combater notícias falsas durante a pandemia

Siga o canal de notícias @alouberlandia no Instagram

Professor da UFMG participa de seminário promovido pela Academia Brasileira de Ciências com propostas contra as ‘fake news’, nesta terça, 14

A pandemia mostrou na prática o perigo das notícias falsas e de não confiar na ciência. Contra isso, um grupo de cientistas da Academia Brasileira de Ciências (ABC), entre eles o professor Yurij Castelfranchi, da Sociologia UFMG, uniu-se e vai apresentar propostas para barrar a desinformação durante o seminário virtual Comunicação científica: como falar mais alto do que a desinformação?, que acontece nesta terça-feira, 14 de setembro, às 16h, com transmissão pelo YouTube da ABC.

Participam do debate, além do professor Castelfranchi, o jornalista Herton Escobar, da Universidade de São Paulo (USP), atual colaborador da revista Science, dos Estados Unidos, e a paleontóloga e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Aline Ghilardi, criadora da rede de divulgação Colecionadores de Ossos.

O presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, vai mediar o debate, ao lado da bióloga da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e acadêmica da ABC Débora Foguel. Em um momento no qual proliferam as chamadas fake news, os três participantes vão discutir como os cientistas podem combater a desinformação nas redes sociais, principalmente com relação a vacinas contra a covid-19. Eles também indicarão erros frequentes que cientistas costumam cometer na hora de divulgar seus trabalhos, além de ferramentas para que produções e pesquisas científicas no Brasil sejam mais divulgadas e conhecidas.

“A comunicação científica é absolutamente necessária e relevante nestes tempos inéditos em que estamos vivendo. Serão dicas valiosas, como as de evitar armadilhas para que a possamos falar de uma maneira mais próxima da sociedade”, afirma a bióloga Débora Foguel.

Participantes

Herton Escobar (USP) – “Universidades: comunicação científica de alto nível e alto impacto”

Jornalista profissional, especializado na cobertura de ciência e meio ambiente. Trabalha na Universidade de São Paulo (USP), como repórter especial da Superintendência de Comunicação Social desde 2019. Antes disso, durante quase 20 anos, foi repórter do jornal O Estado de S. Paulo, com mais de 2 mil reportagens publicadas em formato impresso e digital, sobre uma grande variedade de temas. Desde janeiro de 2015 é também colaborador internacional da revista Science, dos Estados Unidos.

Aline Ghilardi (UFRN) – “Divulgação científica nas redes sociais”

É criadora da rede de divulgação Colecionadores de Ossos, vinculada às iniciativas Science Blogs Brasil e Science Vlogs Brasil. Professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), doutora em ciências/geologia, com ênfase em paleontologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desenvolve pesquisas em paleobiologia, paleontologia e osteo histologia de vertebrados.

Yurij Castelfranchi (UFMG) – “Top 10: erros e acertos na divulgação científica”

Professor associado do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Coordena o Observatório Interdisciplinar InCiTe (Inovação, Cidadania, Tecnociência); é pesquisador do Instituto Nacional para Comunicação Pública da C&T (INCT-CPCT) e coordena o curso de especialização em comunicação da ciência da UFMG, Amerek. Doutor em sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Fez graduação em física e mestrado em comunicação da ciência, ambos na Itália.

Serviço:

Webinário Comunicação científica: como falar mais alto do que a desinformação?

Data: 14 de setembro

Horário: 16h

Transmissão: YouTube da ABC

Fonte: REITORIA-CEDECOM-Assessoria de Imprensa

ASSISTA AS LIVES DO CANAL ALÔ UBERLÂNDIA NO FACEBOOK