Uberlândia

Programa Melhor em Casa garante atenção domiciliar e apoio às famílias

Desde 2017, equipes realizaram mais de 8 mil atendimentos e proporcionam bem-estar aos pacientes

Com cinco equipes, sendo cada uma responsável por um setor da cidade (norte, sul, leste, oeste e central), o Programa Melhor em Casa, oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde, tem cobertura de 100% de atenção domiciliar aos pacientes e familiares de Uberlândia. Um avanço no sistema público que garantiu serviços multidisciplinares em casa a mais de 8 mil pacientes desde 2017, refletindo na desospitalização e liberação de leitos nos hospitais.

Em Uberlândia, o Melhor em Casa tem uma equipe multiprofissional composta por médico, enfermeiro e técnicos, além de fisioterapeuta, nutricionista, assistente social, dentista, fonoaudiológo, terapeuta ocupacional e psicólogo. Os serviços são oferecidos de acordo com a necessidade e a complexidade de cada caso, conforme explicou a coordenadora do programa, Flávia Silva Carvalho Araújo.

“O objetivo é cuidar do paciente em casa, reduzindo o tempo de permanência nos hospitais, e ofercendo um cuidado mais centrado no paciente. A visita acontece no mínimo uma vez por semana de acordo com a necessidade de cada um. O trabalho é feito no conforto da casa do paciente, perto da sua família, em um ambinete que ele já está habituado. Além disso, o paciente é tratado como um todo (com apoio de várias especialidades) e o familiar responsável tem o apoio para dar sequência nos cuidados”, explicou.

Mais segurança

Com o apoio da equipe do Programa Melhor em casa, Betânia Dias, de 43 anos, consegue cuidar do seu pai no conforto de sua casa, no Bairro Jardim das Palmeiras. Há três meses, Carlos Dias, de 70 anos, sofreu um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico e precisa de múltiplos cuidados que são oferecidos pela equipe do programa. Uma atenção que faz toda a diferença, segundo Betânia.

“Quando saímos do hospital, não sabíamos como cuidaríamos do meu pai. Alguns procedimentos que eram feitos lá, eu arrepiava só de ver. Mas com a ajuda da equipe que vem aqui, eu consigo fazer tudo sozinha hoje. Me explicaram de forma simples para que eu pudesse entender e continuar oferecendo os cuidados que ele precisa, como dar banho, alimentar pela sonda e trocar alguns curativos”, ressaltou.

Atualmente, o programa tem 273 pacientes ativos, que recebem no mínimo uma visita semanal – em alguns casos o atendimento em casa pode ser de até três vezes por semana. O tratamento domiciliar pode ser feito por meio de solicitação da equipe médica dos pacientes que estão internados ou para casos vindos da Atenção Primária (UBS e UBSF), como aplicação de medicamento endovenoso e curativos complexos. As solicitações são avaliadas e aprovadas de acordo com critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Fonte: Secom PMU