Uberlândia

Prefeitura atua em diversas frentes pela atualização do cartão de vacina

Trabalho constante das equipes de atenção básica tem o objetivo de ampliar cada vez mais a imunização da comunidade

“Cartão de vacina é documento.” A afirmação feita pela coordenadora do Programa Municipal de Imunização da Prefeitura de Uberlândia, Claubia Oliveira, resume o compromisso da administração municipal em conscientizar a população sobre a importância de se manter o calendário vacinal em dia. Nos últimos dois anos, diversas frentes de trabalho foram desenvolvidas para garantir o acesso da comunidade às vacinas que estão disponíveis gratuitamente na rede.

Com 74 salas de vacina, alguma das quais com horário estendido até as 20h, a Secretaria Municipal de Saúde também empenha equipes para mutirões em escolas e empresas, além de eventos como o Uberlândia Viva.

“Diversas doenças podem ser evitadas com a vacinação. Em nosso país, temos um calendário vacinal não apenas para as crianças e os adolescentes, mas também para os adultos, gestantese idosos. Para que esse trabalho realmente alcance o objetivo de manter a população protegida, é preciso que cada pessoa faça a sua parte, cuidando do seu cartão de vacinação e mantendo em dia. Ele é o documento que certifica sobre todas as doenças contra as quais estamos protegidos”, orientou a coordenadora de imunização.

Vigilância precisa ser constante

O Brasil possui o maior programa público de imunização do mundo. A rede pública oferta todas as 27 vacinas e soros recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Por ano, são mais de 300 milhões de doses aplicadas. No entanto, a vigilância precisa ser constante, uma vez que só a vacinação mantém afastadas as doenças imunopreveníveis, como sarampo e poliomielite.

Em Uberlândia, as políticas públicas implementadas pela Prefeitura de Uberlândia têm contribuído na garantia de um ambiente seguro e saudável para a população. Prova disso é que a cidade apresenta um desempenho contrário ao cenário nacional, que desde 2016 registra quedas acentuadas da cobertura vacinal.

Trabalho permanente

O agendamento das vacinas nas unidades de saúde e a busca ativa dos que não estavam em dia com a imunização foram importantes aliados para garantir a proteção das pessoas, principalmente entre o público de zero a 2 anos de idade. No comparativo entre 2016 e 2018, em oito das 14 vacinas para este público houve crescimento na cobertura para mais de 85%. No entanto, o resultado ainda pode melhorar.

“Cada morador de Uberlândia pode ter certeza de que conta conosco, com nossas equipes de Atenção Primária nos postinhos, nas nossas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e ambulatórios das Unidades de Atendimento Integrado (UAIs). A vacina é a melhor e mais eficaz forma de prevenção”, destacou Claubia Oliveira.

Atualize seu cartão de vacinas!

– UBSFs: 7h30 às 16h30

– UAIs: horário diferenciado das 8h às 20h

Confira a lista com o endereço das Unidades Básica de Saúde da Família (UBSFs) e das Unidades de Atendimento Integrado (UAIs)

Vacinação em todas as idades

Infância – As primeiras doses são aplicadas logo ao nascer, quando são ministradas as vacinas de BCG e hepatite B. Até os 4 anos de idade, a criança precisa ser levada às unidades de saúde para garantir a proteção contra várias outras doenças. A rede pública oferece 19 vacinas, seguindo o calendário nacional da vacinação.

Adolescência – Na adolescência, os pais precisam ficar atentos em relação às duas doses contra o HPV, que acontecem sempre de 9 aos 14 anos para meninas e de 11 a 14 anos em meninos. Vale lembrar ainda da meningite C e de doses de reforço contra a difteria e tétano.

Adultos – Na vida adulta, é preciso verificar o cartão de vacina para certificar que as imunizações contra febre amarela, tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), hepatite B e dT (difteria e tétano) estão em dia.

Os idosos e as gestantes também precisam se proteger e manter a carteira de vacinação atualizada e, por este motivo, devem procurar as unidades de saúde com periodicidade.

Fonte: Secom PMU