Segurança pública

Segurança Pública – Alô Uberlândia – 10/04/24

Por Cássia Bomfim

PMMG registra mais um homicídio em Uberlândia-MG
Mulher esfaqueia companheiro após mensagens telefônicas
Madrugada de quarta-feira (09), guarnições da Polícia Militar (PMMG) foram acionadas para uma ocorrência na Avenida Monsenhor Eduardo, no bairro Bom Jesus, onde havia uma pessoa esfaqueada. Assim que os policiais chegaram tiveram a informação de que homem, 42 anos, tinha sido ferido com golpes de faca, porém, não se encontrava mais no local. De acordo com as informações de testemunhas, um tido da vítima havia prestado socorro e encaminhado para atendimento médico. Com os trabalhos de coleta de dados, uma senhora estava no local e disse que a autora do crime, era uma mulher, jovem, 24 anos, que encontrou mensagens no celular da vítima. Segundo esta testemunha, as “conversas” eram de outras mulheres, sendo que uma delas trabalha como acompanhante no mesmo estabelecimento onde a vítima é gerente. Ainda, de acordo com o Boletim de Ocorrências (BO), houve relatos de que a autora foi no determinado “comércio”, na tentativa de encontrar a “tal” mulher das mensagens. Ao chegar, viu a pessoa conversando com a vítima. Aparentemente descontrolada, talvez por ciúmes ou outro motivo, se apossou de uma faca, mas foi contida pela testemunha que retirou a “arma branca” das mãos da autora e conseguiu retirá-la do local, acompanhando-a até a residência, na Avenida Monsenhor Eduardo. Entretanto, a caminho de casa, a jovem/autora teria encontrado com a vítima e houve atrito entre eles. No mesmo instante, a autora quebrou uma garrafa no chão e a vítima pegou um tijolo, mas a testemunha, mais uma vez, convenceu a autora a ir para o apartamento. Aparentemente, tudo sob controle, o cidadão/vítima pediu para a senhora que pegasse um cigarro no referido “comércio”. Supondo que estaria tudo resolvido, a mulher se dirigiu ao estabelecimento, mas ao entrar, a autora chegou no mesmo momento, de posse de outra faca. Sem ter muito o que fazer, a testemunha gritou para o homem, mandando-o correr porque a jovem estava armada. Rapidamente, a autora correu ao encontro do homem que de posse de um chinelo, acertou o rosto da mulher. Na tentativa de se esquivar da autora, a vítima conseguiu se trancar dentro do bar e através de uma grade, ele tentou empurrar a autora e tirar a faca, mas a jovem conseguiu golpeá-lo na região do peito. Após a facada, o homem caiu já sangrando muito e ainda de acordo com os relatos da testemunha, a jovem teria dito que “que era para matar mesmo”. Outra testemunha, parente da vítima, entrou no estabelecimento e vendo a situação do rapaz, usou o próprio veículo e o socorreu, levando-o para Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do bairro Martins e entregou a chave do apartamento do casal para uma testemunha. Os militares fizeram contato com a mulher/autora, que estava no apartamento. Ela informou que teria ocorrido uma discussão com a vítima, por conta de ter encontrado algumas mensagens no telefone dele, com outras mulheres. Segundo consta no BO, a autora narrou exatamente os fatos contados pelas testemunhas, mas acrescentou que constantemente era agredida pela vítima, até mesmo quando estava de resguardo do filho do casal e que a intenção não era matá-lo, mas que o golpe que ela desferiu foi na mesma hora que ela sofreu a agressão. A autora fez contato com a irmã que reside no estado da Bahia e relatou que a irmã, após tomar conhecimento do fato, viria para Uberlândia, para ficar com a criança, filha do casal. A princípio, os militares, segundo as normas legais, a criança ficou sob a custodia do Conselho Tutelar, até que a irmã da autora chegasse de viagem. A perícia compareceu no local, realizou o serviço de praxe. Os policiais fizeram contato no estabelecimento de saúde do (UAI – Martins) e foram informados que a vítima veio ao óbito. A funerária compareceu para recolher o corpo. Diante dos fatos, foi dado voz de prisão em flagrante a autora pelo crime de homicídio. A faca utilizada no crime, bem como a autora foram entregues na Delegacia de Plantão. A jovem também recebeu atendimento médico na UAI do Roosevelt.

Imagens: Polícia Militar/MG