Saúde

Por que a automedicação é perigosa?

Siga o canal de notícias @alouberlandia no Instagram

O consumo de medicamentos por conta própria ou por indicação de pessoas que não são habilitadas pode causar consequências mais graves do que você imagina.

Por isso, hoje, dia 5 de maio, é dedicado ao Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos. Isso porque no Brasil, cerca de 35% dos medicamentos são adquiridos nas farmácias por pessoas que estão se automedicando.

Ou seja, essa prática de se automedicar é vista como normal, mas tudo tem um bom senso, pois usar medicamentos sem prescrições médicas pode afetar outros sistemas do corpo e acabar por causar algo mais grave.

Por isso, para falar sobre este assunto, convidamos o Dr. Alexandre Fogaça, otorrinolaringologista do Hospital Santa Clara para nos explicar por que a automedicação é perigosa.

Confira!

O que é automedicação?

Automedicar-se é o ato de ingerir remédios para aliviar sintomas, sem qualquer orientação médica no diagnóstico, prescrição ou acompanhamento do tratamento.

“A automedicação, muitas vezes pode ser vista como uma solução rápida para o alívio de sintomas que estejam incomodando o paciente. No entanto, corre-se alguns riscos, tais como: o de se mascarar sintomas de alguma doença importante, além do uso de forma incorreta, podendo levar a um agravamento da evolução da doença. Outra preocupação é a associação de drogas que podem levar a efeitos adversos indesejados”, alerta o médico.

E essa prática é comum, pois acreditamos em recomendações de pessoas próximas, assim como também temos uma disponibilidade de informações médicas na internet que cria um ambiente propício para a pessoa fazer o diagnóstico e se medicar por conta própria.

Por este motivo, alguns remédios como: de uso controlado, antibióticos, antirretrovirais, anabolizantes e alguns imunossupressores, precisam de receita médica para compra em farmácias.

Quais as possíveis complicações de se automedicar?

Todo remédio possui efeitos colaterais e, quando ingerido de forma recorrente e sem prescrição médica, pode causar mais malefícios que benefícios ao organismo.

“O uso de remédios de maneira incorreta pode trazer algumas complicações, como reações alérgicas, dependência química e até psicológica, efeitos colaterais indesejados, como arritmia cardíaca, e até a morte. Além do risco de uma intoxicação, resistência a drogas, e resistência bacteriana, no caso de antibióticos. Todo medicamento tem os seus prós e contras, e isso sempre deve ser pesado pelo profissional habilitado a prescrição”, explica o doutor.

Confira abaixo as possíveis complicações da automedicação:

Intoxicação

Usar doses inadequadas de remédios pode causar desde a ineficácia do tratamento, até uma overdose da substância no organismo, que leva a intoxicação.

Reação alérgica

Ingerir medicamentos que não foram prescritos por um profissional da saúde pode causar reações alérgicas não esperadas no organismo.

Não combinação de medicamentos

Quando se ingere um medicamento sem levar em consideração os outros medicamentos que a pessoa já tem uso contínuo, um pode anular o outro ou potencializar os efeitos do outro.

Resistência ao medicamento

O uso indiscriminado de um remédio pode facilitar o aumento da resistência dos microrganismos àquela substância. No caso dos antibióticos, por exemplo, pode prejudicar a eficácia de tratamentos em infecções futuras.

Dependência

Algumas substâncias proporcionam mais chances de vício quando tomadas em doses incorretas e por tempo além do indicado por um médico.

Mascarar uma doença

Usar remédios para aliviar imediatamente a dor e mal-estar pode esconder a real causa daqueles sintomas. Dessa forma, a doença não é tratada corretamente e pode se agravar.

Cuidado com a “farmácia” da sua casa

É bem comum a gente ter uma “farmacinha” dentro de casa, não é mesmo?! Mas é preciso ter muito cuidado com isso.

Pois, acumular remédios em casa pode gerar:

● Confusão entre medicamentos;

● Ingerir medicamentos vencidos;

● Ineficácia do remédio pelo mau armazenamento dele;

● Ingestão acidental pelas crianças.

Sabe aquele ditado: “com saúde não se brinca”? Então, não se automedique!

Sempre que alguma condição ou sintoma não desaparecer, a decisão mais segura e inteligente é entrar em contato com o seu médico.

Várias complicações de saúde quando diagnosticadas precocemente são possíveis de tratar de forma mais simples e rápida.

Fonte: Kompleta Comunicação

ASSISTA AS LIVES DO CANAL ALÔ UBERLÂNDIA NO FACEBOOK