Notícias de Uberlândia

Prefeitura confirma circulação do vírus tipo 2 da dengue

Assim como em outras cidades brasileiras, Uberlândia também tem a presença do vírus tipo 2 da dengue. A confirmação foi feita na última sexta-feira (29) pela Vigilância Epidemiológica. Os exames de isolamento dos micro-organismos foram feitos na Fundação Ezequiel Dias (Funed) a partir de amostras de pacientes que apresentavam os sintomas e deram entrada nas unidades de saúde do município.

O médico da Vigilância Epidemiológica, Marcelo Sinicio, explica que existem quatro tipos de vírus da dengue: 1, 2, 3, e 4. “Ao que tudo indica, um grande número de pessoas já estava imune ao tipo 1 (predominante nas epidemias de 2015 e 2016). E quando predomina outro sorotipo do vírus, aumenta o número de pessoas suscetíveis à doença e uma evolução mais grave pode ocorrer”, explicou.

Além disso, segundo Sinicio, quando a pessoa apresenta fatores de risco, como gravidez, hipertensão, diabetes ou outras comorbidades (existência simultânea de duas doenças ou mais), a situação tende a ser ainda mais grave e até levar à morte.

“Não é uma doença simples. Ela exige cuidados, principalmente com os sinais de alarme, como vômito sem parar, que impedem hidratação adequada, dor abdominal intensa e contínua e qualquer sangramento, que pode aparecer mais comumente no quarto ou no quinto dia desde os primeiros sintomas. É preciso seguir as recomendações médicas e, claro, evitar a doença, eliminando o problema na raiz, que é o criadouro do mosquito”, recomendou.

Cuidados

Pacientes com dengue (ou com suspeita da doença) precisam de assistência médica. O tratamento busca aliviar os sintomas e combater a desidratação. A Prefeitura de Uberlândia intensificou o acolhimento dos pacientes, com a abertura das salas de hidratação nas UAIs com maior fluxo de paciente e ampliação do horário de atendimento de algumas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs).

“A dengue não tem tratamento específico. Nos casos leves, o indicado é a hidratação oral, com água, sucos e o soro caseiro. O alívio dos sintomas é feito com analgésicos para diminuir as dores. Já para as situações mais graves, que podem evoluir para a dengue hemorrágica, o melhor tratamento é a hidratação por soro na veia. Por isso, a sala de hidratação é fundamental”,enfatizou o médico Marcelo Sinicio.

Com a finalidade de atender toda a população e orientar sobre a busca primeiramente pelas unidades básicas, algumas equipes extras atuam em horário especial nas UBSFs dos bairros: Luizote I,II e III, Jardim Brasília, Jardim Célia, Pampulha, Santa Luzia e São Jorge. Os atendimentos ocorrem das 10h às 22h durante a semana, e das 7h às 19h aos sábados e domingos.

Desde fevereiro, a Secretaria Municipal de Saúde abriu as salas de hidratação nas Unidades de Atendimento Integrado de Saúde (UAI) dos bairros Luizote, Martins, Planalto, Roosevelt e Tibery. Com funcionamento 24h, a iniciativa evita que os pacientes com suspeita de dengue tenham complicações nos sintomas.

Fonte: Secom-PMU