Minas Gerais

AVABRUM ALERTA SOBRE OS RISCOS DA BARRAGEM FORQUILHA III

A Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos pelo Rompimento da Barragem Mina Córrego do Feijão-Brumadinho (AVABRUM) tem o dever de alertar à sociedade e às autoridades dos riscos iminentes em torno das estruturas da barragem Forquilha III, da Vale, em Ouro Preto.
A Agência Nacional de Mineração classificou a barragem Forquilha III como nível de emergência 3 após avaliar indícios de ameaça iminente de ruptura. Este alerta não deve ser ignorado. A barragem foi construída no mesmo método que o Ministério Público classificou de “método assassino”. O método, a montante, é o mesmo da barragem do Fundão, em Mariana, e do Córrego do Feijão, em Brumadinho. Ao todo, 292 pessoas perderam a vida nas duas tragédias-crime.
As consequências e impactos serão maiores do que ocorreu em Brumadinho, uma vez que o volume de rejeitos de minério é estimado em 55 milhões de metros cúbicos – o que corresponde a 4 vezes mais do que o volume despejado nos trabalhadores e na comunidade de Brumadinho. Do mesmo modo como ocorreu em Brumadinho, os avisos sobre riscos acontecem antes das tragédias. Mas as medidas corretas para corrigir a instabilidade das barragens acabam sendo adiadas.
Diante do que aconteceu na Mina Córrego do Feijão, alertamos para que as autoridades, especialistas e empresas mineradoras adotem uma nova gestão de emergências. A dimensão verdadeira das consequências e impactos de rompimento de barragens não pode ser menosprezada. Infelizmente, a segurança da vida e a proteção do meio ambiente são descartadas sob o manto da ganância, omissão e negligência. É assim que grandes tragédias humanitárias, sociais e ambientais são geradas no Brasil.
Apelamos para que a estrutura da ANM seja fortalecida de modo que o órgão tenha condições de fiscalizar com rigor, fazer diligências e envolver outros órgãos públicos na prevenção de riscos e na promoção da vida como valor absoluto e prioridade total na atividade mineradora. Clamamos também para que o Poder Público, em todas as instâncias, esteja comprometido com a solução dos problemas de insegurança nas barragens e atento aos alertas da estrutura da Forquilha III em Outro Preto.
Lutamos pela não repetição e não queremos que nenhuma família e nenhuma comunidade passem pelas situações que enfrentamos desde 25 de janeiro de 2019. Que nenhuma vida mais seja perdida por rompimentos de barragens. É sempre possível prevenir e evitar. As lições de Brumadinho não podem ser esquecidas. Amanhã pode ser tarde.

AVABRUM