Direitos: Pessoas com Deficiências e outros

O combate ao etarismo em favor da dignidade da pessoa idosa

André Naves (*)

É fundamental compreender que o envelhecimento é um processo natural e que todos nós, se tivermos a sorte de viver tempo suficiente, nos tornaremos idosos. Portanto, a garantia dos direitos humanos e da dignidade das pessoas idosas é uma questão que nos afeta a todos. Um dos principais desafios que a população idosa enfrenta é a violência, que pode assumir diversas formas, incluindo, lamentavelmente, a violência doméstica. Além das agressões físicas, é importante destacar que a violência pode ser verbal, emocional e até institucional.

Para combater a violência contra os idosos, a ação policial qualificada é essencial, mas é importante destacar que a prevenção desempenha um papel fundamental, que começa com a criação de estruturas sociais sustentáveis, inclusivas e justas. Isso envolve garantir que os idosos tenham acesso a serviços de saúde de qualidade, moradia adequada, oportunidades de educação contínua e participação ativa na sociedade.

É necessário eliminar o etarismo, o preconceito e o estigma associados ao envelhecimento, promovendo uma cultura que valorize a experiência e a sabedoria das pessoas idosas. Além disso, a convivência intergeracional desempenha um papel crucial no desenvolvimento da criatividade e da inovação. A troca de experiências e conhecimentos entre idosos e jovens enriquece a sociedade como um todo. Portanto, dar dignidade à população idosa não é apenas um dever constitucional e moral, mas também uma condição essencial para o desenvolvimento sustentável da sociedade.

Em resumo, a concretização dos direitos humanos e da dignidade das pessoas idosas é um desafio que requer uma abordagem abrangente, que inclua a prevenção da violência, a eliminação do preconceito e a promoção da convivência intergeracional. Acima de tudo, educação de qualidade e políticas públicas eficientes podem contribuir para uma sociedade mais justa e inclusiva para pessoas de todas as idades.

*André Naves é Defensor Público Federal, especialista em Direitos Humanos e Inclusão Social; Mestre em Economia Política; Autor do livro “Caminho – A Beleza é Enxergar”.

Defensor Público André Naves / foto divulgação

Assessoria de Imprensa