Coluna sobre saúde

Crescer dói? Especialistas afirmam que crianças podem sentir a “dor do crescimento”

A dor acomete mais crianças com idade entre três e 12 anos

Se o seu filho, com idade entre três e 12 anos, tem reclamado de dores na perna, principalmente na parte de trás, e se este incômodo não está acompanhado de outro sintoma, nem piora quando ele anda, então, seu filho pode estar sentindo a “dor do crescimento”.

Por não apresentar uma causa específica, especialistas atribuem esta dor à fadiga muscular, causada pelo excesso de atividade física e brincadeiras ou, ainda, pela má postura da criança ao longo do dia. “A dor do crescimento não está diretamente ligada ao crescimento dos ossos, pois eles crescem devagar, e mesmo na fase que as crianças crescem bastante não deveriam causa dor”, explica o ortopedista pediátrico Dr. Celso Eduardo.

Normalmente, a dor do crescimento se apresenta em uma das pernas, na panturrilha ou próxima aos joelhos, podendo, raramente, acontecer nos braços. Além disso, não aumenta ou diminui com o movimento e acontece mais à noite, cessando pela manhã. “Nesses casos, o indicado é que os pais levem tranquilidade ao filho, dizendo que a dor logo vai passar. Pode fazer uma massagem com cremes ou óleo no local para aliviar a tensão ou, ainda, colocar uma compressa com água quente” explica o ortopedista.

Apesar de não ser considerada uma doença, Dr. Celso explica que a dor do crescimento pode ser confundida com outras doenças, como a Artrite Idiopática. Por isso, ele ressalta a importância de levar a criança a um ortopedista pediátrico para que tenha o diagnostico correto. “Se a criança começar a mancar demais, a dor ficar mais forte e não acabar durante a madrugada, e se vier acompanhada de inchaço e febre é importante que ele seja avaliado por um especialista”, salienta.

Fonte: Assessoria – Serifa Comunicação