Artigos

*Leucemia: exames de rotina podem confirmar diagnóstico e garantir tratamento precoce*

O câncer acomete, em sua maioria, jovens menores de 20 anos e adultos acima de 60 anos

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são registrados cerca de 11 mil casos de leucemia por ano no Brasil. A doença, que tem maior incidência em jovens menores de 20 anos e adultos com mais de 60 anos, é causada por uma mutação genética que afeta as células sanguíneas presentes na medula óssea, transformando-as em cancerosas que se proliferam rapidamente, substituindo-as por sadias.

A enfermidade pode ser descoberta até mesmo em exames de rotina como o hemograma, crucial para confirmar a suspeita do câncer. “Para a elucidação do caso, exames como ácido úrico, provas de função hepática e desidrogenase lática poderão ser solicitados. Após isto, a confirmação deve ser obtida por meio do mielograma, que consiste em avaliar o funcionamento da medula óssea por meio de uma punção aspirativa e a imunofenotipagem das células leucêmicas, que poderá confirmar e/ou definir o tipo e o subtipo da leucemia”, Patrícia Cavalcante, coordenadora técnica e biomédica do Sabin Diagnóstico e Saúde.

Conforme a médica hematologista e hemoterapeuta do Sabin, Maria do Carmo Favarin, quando a leucemia é descoberta em fase inicial, melhores são os prognósticos. “O fato de realizar periódicos nos permite identificar alterações no hemograma de forma precoce. Esta preocupação com a saúde e o diagnóstico precoce que nos permite conquistar os melhores resultados junto aos nossos pacientes, principalmente em oncologia”, explica a especialista.

Ainda de acordo com Maria do Carmo, a leucemia pode ser tratada de acordo com a tipagem e a fase da doença em cada caso. Algumas das opções de tratamento são: a radioterapia, imunoterapia, quimioterapia e transplante de medula óssea, sendo esta última, uma das opções de maior sucesso. De acordo com o Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), o Brasil conta com 5,5 milhões de doadores cadastrados.

Conforme dados do Hemocentro, a compatibilidade pode chegar a 1 a cada 100 mil habitantes para voluntários fora do ciclo familiar, sendo o cadastro para doação de medula óssea uma campanha tão importante quanto a doação regular de sangue nos hemocentros.

Sobre o Sabin

Referência em saúde, destaque em gestão de pessoas e liderança feminina, dedicado às melhores práticas sustentáveis e atuante nas comunidades onde está presente, o Grupo Sabin nasceu na capital federal, fruto da coragem e determinação de duas empreendedoras, Janete Vaz e Sandra Soares Costa, em 1984.

Presente em 15 estados, além do Distrito Federal, a empresa oferece serviços de saúde com excelência, inovação e responsabilidade socioambiental às 78 cidades em que está presente e atende mais de 7 milhões de clientes ao ano em 350 unidades distribuídas de norte a sul do país.

O ecossistema de saúde do Grupo Sabin integra um portfólio de negócios que contempla análises clínicas, diagnósticos por imagem, anatomia patológica, genômica, imunização e check-up executivo. Além disso, contempla também serviços de atenção primária, contribuindo para a gestão de saúde de grupos populacionais por meio de programas e linhas de cuidados coordenados, com a Amparo Saúde, e a plataforma integradora de serviços de saúde – Rita Saúde – solução digital que conta com diversos parceiros como farmácias, médicos e outros profissionais, promovendo acesso à saúde com qualidade e eficiência.

Assessoria de imprensa