Artigos

Janeiro Branco: depressão é mais comum em pacientes com câncer

Problemas de saúde mental são recorrentes em pacientes oncológicos. No mês de janeiro, a conscientização sobre a importância do cuidado com a mente é reforçada e especialista dá dicas para cuidados com a Saúde mental

A campanha Janeiro Branco visa despertar a consciência de que a mente é parte importante de qualquer tratamento, seja físico ou emocional. No caso das pessoas que lutam contra o câncer, o cuidado com a saúde mental se torna imprescindível. De acordo com dados de uma pesquisa publicada no The Oncologist, cerca de 30 a 50% dos pacientes oncológicos possuem alguma comorbidade psiquiátrica.

O estudo Impact of Onset of Psychiatric Disorders and Psychiatric Treatment on Mortality Among Patients with Cancer, realizado com mais de 10 mil pacientes com câncer que não apresentavam histórico de transtornos psiquiátricos antes do diagnóstico, ainda evidencia que a depressão é mais recorrente nas pessoas em tratamento oncológico, identificando que a condição é de duas a quatro vezes mais comum em pacientes com câncer do que na população em geral. Além dos sentimentos de tristeza, a ansiedade, o estresse, e a raiva também são problemas de saúde mental recorrentes em quem está na luta contra o câncer.

No contexto oncológico, existe a sensação de paralisia e impotência diante do diagnóstico, cujas sensações são carregadas por estigmas sociais e culturais, como explica a psicóloga da Oncoclínicas em Uberlândia, Paula Justino. “Na depressão há presença de tristeza, pessimismo e a percepção de inercia. Condições que impedem sensações de prazer em atividades que antes eram importantes, gerando um estado de angústia, medo e pensamentos negativos por um período extenso”, comenta Paula.

A depressão é uma condição que demanda atenção e cuidados individualizados, no contexto oncológico pode se tornar mais complexa impactando o tratamento, reduzindo a qualidade de vida, aumentando as chances e período de hospitalização.

Sinais da depressão

Nos casos de câncer, a detecção precoce da depressão também é de suma importância, pois evita o agravamento do quadro e, consequentemente, reduz o número de casos crônicos do transtorno.

Para o diagnóstico é preciso atenção aos sinais que são leves ou severos, sendo os mais comuns:

Irritabilidade constante;
Crise de choro súbita;
Problemas de concentração;
Tristeza e desânimo profundo;
Falta de esperança;
Fadiga;
Perda de apetite;
Relutância em falar sobre os próprios sentimentos;
Dificuldade na tomada de decisões;
Insônia (dificuldade para dormir e/ou ter um boa noite de sono) ou hipersônia (sentir muito sono e não querer sair da cama);
Se afastar de amigos e família.
A psicóloga destaca a conscientização como facilitador do diagnóstico precoce da depressão e a importância de “Impulsionar atitudes como o janeiro branco, para disseminar conhecimento sobre o tema tornando mais fácil identificar sinais e oferecer apoio ao público alvo”, comenta a especialista.

Como cuidar da saúde mental durante o tratamento de um câncer

“Acompanhamento profissional é indispensável para cuidar da saúde mental após o diagnóstico de câncer e também durante o tratamento. Além disso, alguns bons hábitos contribuem para melhorar o bem-estar do paciente enquanto lida com o tumor”, destaca a psicóloga.

Confira algumas atitudes que podem contribuir com a saúde mental durante o tratamento oncológico:

Ajuda psicológica: a detecção precoce da condição e o tratamento imediato são necessários para evitar que a depressão se agrave. Para que não tenham danos maiores no futuro e até prejudique o desenrolar do tratamento oncológico, o primeiro passo é contar com ajuda profissional.

Sono de qualidade: ter um sono de qualidade influencia no bom funcionamento imunológico, algo que é muito positivo para pacientes oncológicos. Aqueles que estão em tratamento contra o câncer devem dormir a mesma quantidade de horas que pessoas sem a doença, embora em alguns momentos, principalmente quando estiverem em uma fase de tratamento mais intensa, pode ser considerado ter um período de repouso maior.

Fazer atividades físicas: caso o paciente tenha condição de realizá-las, as atividades físicas são primordiais para o bem-estar emocional por conta da liberação de hormônios e endorfinas.

Boa alimentação: manter uma alimentação mais saudável, dentro das condições do paciente, também contribuirá para a saúde emocional.

Bom relacionamento interpessoal: contar com o apoio da família e do círculo social será importante para que o paciente se sinta acolhido e fortalecido na luta contra o câncer.

Sobre a Oncoclínicas&Co

A Oncoclínicas&Co. – maior grupo dedicado ao tratamento do câncer na América Latina – tem um modelo especializado e inovador focado em toda a jornada do tratamento oncológico, aliando eficiência operacional, atendimento humanizado e especialização, por meio de um corpo clínico composto por mais de 2.700 médicos especialistas com ênfase em oncologia. Com a missão de democratizar o tratamento oncológico no país, oferece um sistema completo de atuação composto por clínicas ambulatoriais integradas a cancer centers de alta complexidade. Atualmente possui 143 unidades em 38 cidades brasileiras, permitindo acesso ao tratamento oncológico em todas as regiões que atua, com padrão de qualidade dos melhores centros de referência mundiais no tratamento do câncer.

Com tecnologia, medicina de precisão e genômica, a Oncoclínicas traz resultados efetivos e acesso ao tratamento oncológico, realizando aproximadamente 615 mil tratamentos nos últimos 12 meses. É parceira exclusiva no Brasil do Dana-Farber Cancer Institute, afiliado à Faculdade de Medicina de Harvard, um dos mais reconhecidos centros de pesquisa e tratamento de câncer no mundo. Possui a Boston Lighthouse Innovation, empresa especializada em bioinformática, sediada em Cambridge, Estados Unidos, e participação societária na MedSir, empresa espanhola dedicada ao desenvolvimento e gestão de ensaios clínicos para pesquisas independentes sobre o câncer. A companhia também desenvolve projetos em colaboração com o Weizmann Institute of Science, em Israel, uma das mais prestigiadas instituições multidisciplinares de ciência e de pesquisa do mundo, tendo Bruno Ferrari, fundador e CEO da Oncoclínicas, como membro de seu board internacional.

Redação GA Comunicação