Artigos

Dia de Conscientização da Doença Falciforme movimenta UAI Pampulha

Além das atividades desenvolvidas permanentemente junto à comunidade, pacientes receberam orientações 

A cada 1.400 pessoas nascidas em Minas, pelo menos uma apresenta a  doença falciforme . Os dados são do Ministério da Saúde, que alerta para uma situação crônica que, apesar de não ter cura,  pode ser devidamente controlada . No dia 19 de junho, dia mundial de conscientização sobre a doença, pacientes que passaram pela Unidade de Atendimento Integrado (UAI) Pampulha, receberam  orientações e cartilhas sobre a importância do diagnóstico precoce .

Desde 2007, Uberlândia conta com uma  Rede de Atenção Integral aos portadores da doença falciforme , que é genética e hereditária. A iniciativa foi uma vontade do prefeito Odelmo Leão, com o intuito de  minimizar as complicações  da enfermidade e  aprimorar a qualidade de vida dos pacientes . Atualmente, mais de 300 pessoas são acompanhadas pelo Município, com cuidados, orientações e atendimento permanente.

Cuidados na infância

Há 19 anos, é possível diagnosticar a doença falciforme e outras enfermidades ainda na infância, por meio do teste do pezinho , um procedimento simples e oferecido gratuitamente pela rede municipal para monitorar a saúde dos recém-nascidos. Mãe de três filhos, de 12, cinco e dois anos, a moradora do bairro Carajás, Valcilene Gonçalves de Souza, destacou a oportunidade na rede pública.

“Todos os meus filhos fizeram o teste do pezinho gratuitamente e foi daí que descobri que podíamos detectar essas doenças. Acredito que a  informação é a base de tudo , pois com ela anulamos e prevenimos muitos problemas. Inclusive, não sabia de que forma a doença é transmitida, se era hereditária mesmo ou não”, disse.

Quem também levou novos conhecimentos para casa nesta terça-feira foi o morador do bairro Santa Mônica, Valdemir Rodrigues da Silva. “Meu filho está com um ano e dois meses e foi na UAI Pampulha que ele fez o teste do pezinho. Ter essas orientações na unidade para mim é fundamental. Mesmo que já tenha conhecimento, é muito importante reforçar esses cuidados”, destacou.

Atendimento permanente

Atualmente, mais de 20 Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs) e dezenas de unidades de referênciarealizam o teste do pezinho gratuitamente, como as UAIs dos bairros Luizote, Martins, Morumbi, Pampulha, Planalto, Roosevelt e Tibery. Dos 9.633 nascidos vivos residentes em Uberlândia em 2017, 6.242 realizaram o teste na rede pública de saúde.

Para a coordenadora da Rede de Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme, Mara Ramos de Oliveira, o envolvimento da população é fundamental para o controle da enfermidade no município. “Estamos falando de uma das doenças hereditárias mais prevalentes no Brasil e é fundamental se conscientizar. A partir do teste do pezinho, por exemplo, já podemos detectar se há a doença e já começamos a fazer o tratamento desde a infância”, afirmou.

Outra forma de diagnóstico

Além do teste do pezinho, a doença também pode ser diagnosticada por meio do exame de eletroforese de hemoglobina, em adultos. Paralelo ao trabalho realizado pela equipe da Rede de Atenção Integral, os pacientes assistidos na rede pública contam com uma referência ambulatorial para o tratamento, feita pelo Hemocentro Regional de Uberlândia/Fundação Hemominas.

A Rede de Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme está localizada no Anexo I da Secretaria Municipal de Saúde, situada na avenida João Naves de Ávila, 2.202. Para mais informações, basta entrar em contato pelo (34) 3256-5416.

Fonte:   Secretaria de Comunicação – Prefeitura de Uberlândia

Prelo Comunicação