Artigos

5 chás que ajudam a regular desordens menstruais

Há mais de 60 antioxidantes no gengibre para o tratamento da dismenorreia primária

Não é de hoje que os chás de ervas são utilizados como alternativa para auxiliar no tratamento de determinadas questões de saúde. A orientação do uso desse tipo de técnica é recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde 1979, como prática de integração complementar ao sistema público de saúde.

Em relação à saúde feminina, a literatura médica recente já avalia os impactos do uso de chás naturais em sintomas típicos do período menstrual das mulheres, como irregularidade nos ciclos, constipação, inflamações, cólicas ou náuseas.

Um estudo feito por pesquisadores do Instituto Tecnológico de Monterrey, no México, em colaboração com a OMS, aponta que os chás são opções eficazes e de baixo custo para mulheres que sofrem de desordens do sistema reprodutivo.

A pesquisa avaliou mais de 180 espécies de ervas. Entre elas, três das mais utilizadas para amenizar os sintomas do ciclo menstrual foram a camomila, a canela e o gengibre. As opções naturais serviram para casos de dismenorreia (cólica menstrual), sangramento intenso durante a menstruação, enjoos e outros sintomas.

Chás são acessíveis e alternativas aos sintéticos
Por pertencerem à medicina natural, os chás se tornaram a escolha de muitas pessoas que preferem evitar químicos e efeitos colaterais a longo prazo. Além disso, costumam ser mais baratos e dispensam prescrição médica, conforme elucida Paula Molari Abdo, farmacêutica pela USP e diretora técnica da Formularium.

Segundo Paula, que também é membro da SBRAFH (Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar), da ANFARMAG (Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais) e especialista em Atenção Farmacêutica pela USP; há uma grande variedade de ervas e chás tradicionalmente usados para problemas menstruais.

“Além de ajudar na regulação menstrual, alguns chás também podem aliviar sintomas associados, como cólicas e inchaços. Adicionalmente, muitos chás oferecem outros benefícios à saúde, como propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias”, destaca a farmacêutica.

5 chás para tornar o período menstrual mais saudável
Os chás de ervas podem regular os níveis hormonais e reduzir a inflamação, ao mesmo tempo que fornecem vitaminas e minerais essenciais para a saúde feminina. Confira as opções:

Chá de camomila: a camomila é uma das plantas medicinais mais utilizadas em todo o mundo e está listada na farmacopeia de pelo menos 26 países. Tradicionalmente, ela é utilizada para reduzir a ansiedade (comum da TPM) e também no tratamento das cólicas crônicas e do sangramento menstrual excessivo.

“A camomila possui camazuleno, apigenina e flavonoides, propriedades com ações anti-inflamatórias, analgésicas e antioxidantes, que ajudam no alívio de sintomas como cólicas, ansiedade e irritabilidade, além de conter o fluxo menstrual intenso”, explica Paula Molari Abdo.

Chá de gengibre: segundo a farmacêutica, a raiz de gengibre contém compostos como o gingerol e a ginger diona, que possuem propriedades anti-inflamatórias e antiespasmódicas. Historicamente, o gengibre tem sido usado no tratamento de dor e inflamações, e essas propriedades podem explicar sua eficácia no alívio da dor menstrual.

Segundo uma revisão de estudos, há mais de 60 ativos antioxidantes presentes no gengibre, como gingeróis e zingerona, com importantes propriedades que reduzem inflamações, com destaque ao tratamento da dismenorreia primária.

Chá de canela: resultados de várias pesquisas demonstram que o consumo de chá natural de canela diminui a dor associada à menstruação e controla o fluxo menstrual intenso. “A canela tem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, antidiabéticas, antifúngicas e antibacterianas, além de melhorar náuseas e diarreia”, completa Paula Molari Abdo.

Ainda de acordo com as pesquisas, a canela tem sido utilizada no tratamento da síndrome do ovário policístico, que tem como sintomas cólicas, ausência de menstruação ou amenorreia, e menstruação anormal ou oligomenorreia.

Chá de vitex: segundo a farmacêutica, o extrato de Vitex agnus-castus, ou “Árvore da Castidade”, contém iridoides e flavonoides, que podem ajudar na modulação hormonal, especialmente na regulação da secreção de prolactina, um hormônio que pode equilibrar o ciclo menstrual.

Uma série de estudos publicados no Thieme mostrou que o Vitex agnus-castus pode diminuir os sintomas da menopausa e, principalmente, da TPM, sendo um dos ativos mais populares para quem sofre da síndrome pré-menstrual. Outros efeitos incluem: diminuição da irritabilidade, da constipação, da ansiedade, das enxaquecas, cólicas e da sensibilidade nos seios.

Chá de Dong Quai: tradicional da medicina chinesa, mas popular em todo o mundo, o chá de dong quai promete facilitar a circulação sanguínea. Mulheres no pós-parto (com orientação médica), durante a menstruação, na menopausa e aquelas com cólicas incapacitantes são beneficiadas com o chá de dong quai, também conhecido como o “ginseng feminino”.

“A Radix Angelica Sinensis, comumente conhecida como Angelica sinensis ou Dong Quai, contém uma variedade de compostos, incluindo ácidos orgânicos, polissacarídeos e flavonas, que são conhecidos por suas propriedades benéficas, como facilitar a circulação sanguínea, aliviar dores e tratar desordens menstruais”, finaliza Paula Molari Abdo.

Assessoria de imprensa