Artigos

30 de maio – Dia Mundial da Esclerose Múltipla: O que é e como diagnosticar a doença?

Conheça os sintomas e tratamento da doença que ataca o sistema nervoso central e acomete cerca de 40 mil brasileiros

Formigamento, dormência, dor, fraqueza nos braços, pernas, tronco ou face, além de problemas com a visão, podem ser sinais iniciais de esclerose múltipla, sobretudo em pacientes jovens.

Cerca de 40 mil pessoas no Brasil são atingidas pela esclerose múltipla, de acordo com a Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM). No mundo, esse número chega a quase 3 milhões de pessoas.

Afeta principalmente jovens, principalmente mulheres entre 20 e 40 anos de idade. Depois de doenças neurológicas decorrentes de traumas de acidentes, a esclerose múltipla é a maior causa de incapacidade neurológica em adultos jovens.

Essa patologia neurológica é inflamatória e autoimune, acomete o cérebro e a medula. Acontece quando as zonas de mielina, substância que reveste a maioria das fibras nervosas é danificada ou destruída, causando uma inflamação que compromete o funcionamento do sistema nervoso central e criando uma barreira na comunicação entre o cérebro e o restante do corpo.

“Os sintomas variam de pessoa para pessoa, de acordo com o grau do dano já causado. Não há cura para a esclerose múltipla, mas existem tratamentos que ajudam na redução e gravidade dos surtos bem como reduzindo chances de novos surtos e progressão da doença”, explica o neurologista e professor do curso de Medicina da Faculdade Pitágoras, Frederico Lacerda, que destaca ainda alguns sinais de atenção. Confira:

Fraqueza;

Sensitivas: dormências ou formigamentos; dor ou queimação na face;

Visuais: visão borrada, mancha escura no centro da visão de um olho, visão dupla;

Motoras: perda da força muscular, dificuldade para andar, espasmos e rigidez muscular;

Ataxia: falta de coordenação dos movimentos finos ou para andar e desequilíbrios;

Além disso, pode apresentar sintomas associados, sendo rara a sua apresentação de forma isolada, tais como: Esfincterianas- dificuldade de controle da bexiga ou intestino; Cognitivas- problemas de memória, de atenção, do processamento de informações; Mentais- alterações de humor, depressão e ansiedade.

O diagnóstico é feito por meio da análise médica que inclui exame clínico e exames complementares, como ressonância magnética de cérebro, coluna cervical e torácica e coleta de líquor. Desta forma, é essencial que mediante qualquer suspeita, ocorra a busca por um especialista, sobretudo após a apresentação de um sintoma novo e agudo, pois o diagnóstico precoce e o tratamento adequado são determinantes para gerenciar a doença e melhorar a qualidade de vida do paciente.

Sobre a Faculdade Pitágoras

Fundada em 2000, a Faculdade Pitágoras já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação, extensão e ensino técnico, presenciais ou a distância. Presente nos estados de Minas Gerais, Maranhão, Goiás, Ceará, Pará, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Acre, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Paraná e São Paulo, a Faculdade Pitágoras presta inúmeros serviços à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Faculdade Pitágoras oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. A Faculdade Pitágoras nasceu herdando a tradição e o ensino de qualidade oferecido pelo Colégio Pitágoras, fundado em 1966, que também deu origem ao grupo Kroton.

Fonte: Assessoria de Imprensa